terça-feira, 4 de outubro de 2011

Eu me Lembrei do Senhor

“Quando dentro de mim, desfalecia a minha alma, eu me lembrei do Senhor; e subiu a ti a minha oração, no teu santo templo” (Jonas 2.7).

     Acredito que todos nós já oramos em muitos lugares estranhos, mas não em um lugar tão estranho como o espantoso lugar onde Jonas orou. Ele fez uma oração dentro da barriga de um grande peixe. Você pode imaginar isso?
     Essa história é bem conhecida por todos e, até mesmo, por aqueles que não freqüentam as igrejas evangélicas.
     Conhecemos a historia. Jonas é chamado por Deus para levar uma palavra ao povo de Nínive; e o que acontece é que Jonas entra em um navio e vai em direção oposta àquela cidade. Jonas não obedeceu a Palavra do Senhor. Deus levanta no mar uma grande tempestade que atemoriza a todos, exceto Jonas, que dormia no fundo do barco.
     Os marinheiros despertam o profeta do seu sono e, após Jonas ver toda aquela situação e reconhecer que ele era a causa de todo aquele problema, pede para ser jogado ao mar. Dito e feito, Jonas foi lançado ao mar e a tempestade acabou. Mas esse não é o final da história. Deus ordenou, então, que um grande peixe engolisse Jonas. Você pode se imaginar na pele de Jonas? Geralmente, nós é que engolimos o peixe e não o contrário.
     A Bíblia nos diz que Jonas ficou no ventre do peixe por três dias e três noites (Jn.1.17). Durante esses três dias, Jonas passou por momentos terríveis. Se você acompanhar a narrativa do profeta no capítulo 2, verá que esses dias e noites parecem ter durado uma eternidade. Mas Jonas teve uma atitude correta: orou ao Senhor. Essa sempre deve ser a nossa atitude diante das aflições que atravessamos. Jonas trouxe à sua lembrança quem era Deus e o Seu poder. Ele nunca havia se esquecido do Senhor.
     Podemos passar por várias provações, e muitas delas parecem que nunca irão terminar, mas não podemos nos esquecer que Deus está acima de todas as coisas. A nossa oração subirá até o templo de Deus, onde Ele está reinando e ouvindo cada oração feita.
     Gosto muito de uma sentença que Max Lucado escreveu em seu livro Ele ainda remove pedras (Ed. CPAD): “Nossas orações podem ser desajeitadas. 
Nossas tentativas podem ser débeis. Porém, uma vez que o poder da oração está naquEle que a ouve e não naquele que a faz, nossas orações fazem diferença” .
     Após a oração de Jonas, vemos Deus se movendo a favor do profeta. Deus dá uma ordem, e aquele grande peixe vomita Jonas em uma praia.
     A oração tem um poder incrível. Devemos praticá-la. Jesus orava e ensinou os discípulos a orarem também. A igreja em Atos orava com fervor.
     Nossas orações têm livre acesso ao templo do Senhor.

                

Autoria do texto: Pr. Carlos Barabás

Um comentário:

  1. gostei do seu comentário, que Deus continue lhe abençoando, Amém

    ResponderExcluir